Mourinho adapta-se ao 4-2-3-1 no Real Madrid

José Mourinho sempre se declarou adepto de dois sistemas táticos: 4-3-3, o preferencial; e 4-4-2 com meio-campo em losango, a alternativa. Segundo o treinador português, o 4-3-3 proporciona a melhor ocupação de espaços, e o 4-4-2 exige maior concentração dos seus atletas por apresentar problemas nesta ocupação, o que ajuda a elevar o desempenho.

Mas no Real Madrid, Mourinho adota o 4-5-1 com três meias ofensivos (ou 4-2-3-1). É um sistema tático derivado do 4-3-3, portanto, o técnico dos merengues não violenta nenhuma convicção, nem se contradiz. Na comparação com o que fazia no Porto, na Inter ou no Chelsea (principalmente), ele apenas recua seus atacantes lateralizados para a mesma linha do ponta-de-lança.

Estes atacantes transformados em meias-extremos jogam com os pés invertidos: destro Cristiano Ronaldo na esquerda, canhoto Di Maria na direita. Özil é o ponta-de-lança central, com brilhantismo que hoje inviabiliza o retorno de Kaká – o Kaká de 2010 – ao time. Esta linha é guarnecida por dois volantes combativos e capacitados na saída de bola. Xabi Alonso e Khedira conciliam marcação eficiente à passagem da linha da bola e à precisão no passe.

Com a bola, a melhor saída é pela esquerda. Marcelo beneficia-se da chegada de Mourinho, com o corredor aberto por Cristiano Ronaldo, avançando pelo lado ou então ingressando em diagonal pelo meio para tabelas curtas com o próprio português, com Özil ou com o pivô de Higuaín. E Mourinho destaca ainda uma característica do lateral brasileiro:

– Aprendeu a marcar por dentro. Geralmente os laterais são jogadores que jogam melhor abertos. Poucos laterais conseguem marcar por dentro – disse Mourinho em entrevista à ESPN Brasil. Uma referência, acredito, à basculação realizada quando a linha defensiva move-se à direita para cobrir o apoio de Arbeloa.

Anúncios
Esse post foi publicado em Real Madrid e marcado . Guardar link permanente.

3 respostas para Mourinho adapta-se ao 4-2-3-1 no Real Madrid

  1. Pedro Lampert disse:

    Como é um “zé ninguém” o Özil no Brasil… Esse muleque é genial. Desde os primeiros jogos no Werder Bremen mostrou sem fantástico. Ganhou reconhecimento na Copa e já voltou a ser um esquecido.

    Real contratou MUITO bem nessa janela! Pagou uma miséria pelo Özil, pouco pelo Khedira (um verdadeiro trabalhador em campo), uma quantia bem aceitável pelo Di María (€19 milhões, + um jogador de 19 anos + dinheiro por conquistas) e muito pouco pelo ótimo Ricardo Carvalho, que apesar da idade, vai dar conta do recado por um tempo.

    Não quis gastar com grandes estrelas (Kaká, CR7, Benzema…) como foi em 2009, e acertou muito.

    Já li vários sites da Europa dizer que o Özil foi a melhor contratação e custo-benefício na década do Real.

  2. Fábio Nonato disse:

    Bruxo, muito bom, estou aprendendo muito contigo. Não vi ao jogo ainda, vou ver se acompanho o VT que vai passar na ESPN hoje. O que quis dizer em “Uma referência, acredito, à basculação realizada quando a linha defensiva move-se à direita para cobrir o apoio de Arbeloa.” Abraço! @amigosdononato

  3. gabriel disse:

    achei está formação um pouco recuada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s